sábado

Na mira


Gaúchos montados em cavalos e roupas típicas transitam tranquilamente na Av. Mauá, Porto Alegre, centro comercial da capital gaúcha, em total harmonia: tempos modernos com a mais antiga tradição do povo riograndense. Já o presidente da Câmara dos Deputados, Arlindo Chinaglia (PT-SP), não quer ver os parlamentares usando roupas extravagantes. Para ele, nada de chapéus, bombachas e outros trajes que fujam à regra da calça comprida, do paletó e da gravata. A decisão está provocando muita controvérsia nos corredores do plenário. Alguns parlamentares reclamaram porque não vão mais poder usar os trajes regionais. A rebeldia pode ser vista como agressão ao decoro parlamentar.

Proibição de roupa extravagante cria polêmica na Câmara


11 comentários:

Administradora disse...

Bonito registro do cotidiano gaúcho.

Eduardo Souza disse...

Isso prova que a tradição e o moderno convivem em harmonia.

toque disse...

"Deu pra ti, vou pra Porto Alegre. Tchau!!Deu pra ti...

Santa disse...

Interrompi a fisioterapia para publicar o post em solidariedade ao jornalista Reinaldo Azevedo. Agradeço as palavras de carinho no blog. Se é que é possível,- tenha um bom domingo. Beijos.

Daniel J. Butzke disse...

Apareça lá no meu blog. Espero que goste.

flavia disse...

eita! só vi o comentário que você deixou no meu blog hoje! por algum motivo obscuro não chegou um aviso no meu email.

eu te conheço sim, por fotos e por ouvir muito falar de você!

beijos da recifense
;)

Santa disse...

Oi Maninho,
Olha a Flavinha aí.
Ela deve estar com muitas saudades, ainda bem que Bruno volta dia 23 da Europa.

Flor de Lis Branca disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Flor de Lis Branca disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Flor de Lis Branca disse...

Maninho
Apareça no meu meu blog.

Fabiana disse...

LULA APOSENTOU-SE AOS 42 ANOS ESTA É DE LASCAR...

Documento do INSS obtido pela coluna mostra que o presidente Lula não pode reclamar da vida: a aposentadoria especial para anistiado político, concedida em 1996 e requerida um ano antes, retroagiu a 5/10/1988, um dia antes de ele completar 43 anos. O companheiro presidente tinha 22 anos de serviço, na ocasião. O benefício, que em 2005 totaliza R$ 8.862,57, está devidamente isento do pagamento de imposto de renda.

http://fabianamelovieira.blogspot.com/